De Olho na MLB - Temporada 2019: Edição #01







De Olho na MLB: Edição #1

Após uma longa espera, a MLB retornou na última semana e como já é tradição aqui no site, teremos uma coluna semanal – ou sempre que possível - mostrando os destaques, decepções e surpresas da semana, além de acompanharmos o recorde de nosso especialista em baseball, Gustavo Zambrano. 

Uma semana de baseball é amostra extremamente limitada e se o apostador se guiar apenas por esse curto período de jogos, ele achará que os Baltimore Orioles são um grande time, que os Red Sox são uma das piores equipes da liga, que Mike Trout é um jogador comum e que Tim Beckham vem pra uma temporada de 40 home runs. Muita coisa não tem importância na primeira semana do baseball, mas aqui eu busco identificar alguns jogadores que mostraram de fato algumas mudanças, sejam elas para o bem ou para o mal e guiar os apostadores em quais aspectos eles devem dar maior importância daqui para frente e em quais equipes eles devem ficar atentos, seja para apostar a favor ou para evitar, assim como os arremessadores. 

Nosso Especialista

Gustavo Zambrano

Recorde: 6-5-1 (54%), +2,01und
ODD Média: 2.00
ROI%: +16,7%
ML: 4-4 (50%), +1,15und
Totais: 2-1-1 (66%), +0,86und

Contando com os dois jogos que ocorreram no Japão uma semana antes do opening day oficial, foram 12 dicas de aposta lançadas no site, com 6 acertos, 5 erros e uma aposta devolvida, totalizando 2,01 unidades de lucro. Foi uma semana positiva para os que seguiram as dicas aqui no Aposta10, especialmente os que não tiveram medo de pegar os Athletics à 2.45 contra Chris Sale e os Red Sox e antes disso os Mariners à 2.70 contra a mesma configuração de arremessador e equipe, ambas apostas ganhas e que foram fundamentais para construir o recorde positivo nessa semana. Chris Sale e os Red Sox serão abordados mais para frente nesse artigo. 

Destaques 

Time: Milwaukee Brewers (6-1 W/L) 

Vencedores da divisão na última temporada, conquistando a NL Central em uma partida de desempate contra os Chicago Cubs, os Brewers começaram o ano fortes, mostrando que são novamente um forte concorrente em uma das divisões mais disputadas do baseball. A rotação foi sólida apesar da ausência de grandes nomes, Christian Yelich tem sido incrível e já soma 4 home runs, Lorenzo Cain, Travis Shaw e Mike Moustakas foram sólidos no bastão e o bullpen, apesar da ausência dos lesionados: Corey Knebel e Jeremy Jeffress, ainda foi bastante seguro, tendo em Josh Hader um dos melhores relievers da liga.

Várias equipes caberiam como destaque nessa primeira semana, mas pela continuidade do bom trabalho já demonstrado na temporada passada, eu decide colocar os Brewers nesse posto. 

Pitcher: Jacob deGrom (RHP, New York Mets)

Tendo assinado uma extensão de contrato recentemente e saindo de sua melhor temporada, Jacob deGrom parecia ainda mais dominante do que o normal em seus dois primeiros jogos esse ano. deGrom ainda não sofreu corridas ao longo de 13 IP e foi marcado com a vitória em seus dois jogos. O arremessador conseguiu um total de 24 strikeouts em apenas dois jogos, cedendo apenas dois walks, tendo uma relação K/BB irreal de 12.00. deGrom ainda teve “azar” em suas duas excelentes performances, não tendo permitido corridas mesmo com 36,4% das bolas que entraram em campo tendo virado hits contra ele. Sua velocidade subiu de 96.7mph para 97.1mph na bola rápida e entre os ajustes que podem ser observados, o arremessador parece ter abandonado seu e seu sinker, aumentando sua utilização de bola rápida e slider, que foram seus dois melhores arremessos durante a última temporada. 

Rebatedores: Bryce Harper (OF R, Philadelphia Phillies)

Harper acertou um contrato de 10 anos e $330 milhões com os Philadelphia Phillies na última offseason e não tem decepcionado em seu início por sua nova equipe. O jogador foi vaiado quando enfrentou os Washington Nationals nessa semana e sofreu um strikeout em suas duas primeiras passagens no bastão contra o ex-time, Harper também bateu um home run na partida e os Phillies saíram vencedores do confronto, no que as vaias não surtiram um efeito duradouro. Até o momento, o jogador soma 2 HRs, 5 RBIs e vem com linha de: 500/652/1188 (AVG/OBP/SLG). Vários jogadores se destacaram nessa primeira semana de jogos, mas não foi tão dominante quanto Harper. 

Surpresas

Time: Baltimore Orioles (4-3 W/L)

Não, os Orioles não terão uma grande temporada e nem serão uma surpresa no decorrer do ano, mas no preview que eu escrevi sobre eles antes da temporada, já havia dito que esperava que eles ganhassem mais jogos do que no ano passado, onde além de terem uma equipe fraca, ainda sofreram com muitos jogos atrasados e partidas remarcadas, o que fatigou o time. Nessa primeira semana de temporada porém, os Orioles merecem destaque, já que venceram uma série contra os New York Yankees e outra contra os Toronto Blue Jays. Underdogs em todos os seus jogos disputados até o momento, uma aposta cega sobre eles teria rendido +6,90 unidades para o apostador nesse ponto da temporada. Ainda que eles não se tornem um bom time nessa temporada, eles tem potencial para serem uma boa opção de aposta em muitos pontos. 

Pitcher: Matthew Boyd (LHP, Detroit Tigers)

Boyd conseguiu dois dígitos de strikeouts em ambas partidas que começou nessa temporada, somando ao todo 23 K’s em 11.1 IP de serviço, com uma de suas duas excelentes performances vindo contra os New York Yankees no Yankee Stadium, um time com lineup predominantemente destro, os quais Boyd sempre teve dificuldade. No ano passado, o arremessador teve uma grande divisão de desempenho home/away, com 2.63 de ERA em casa e 5.89 fora, mas suas duas boas performances vieram em jogos fora de casa nessa temporada. Boyd segue sendo um flyballer que sempre vai sofrer mais home runs do que o normal, mas se ele puder manter uma taxa elevada de strikeouts, então ele pode ter performances próximas a de James Paxton, um canhoto com habilidades semelhantes as dele e que teve sucesso sendo um flyballer. Entre os ajustes que o arremessador realizou nesse início de temporada, se destaca o abandono de seu sinker em preferência a sua bola rápida tradicional, que não ganhou muita velocidade mas que parece gerar melhores resultados do que o sinker.

Rebatedores: Yoan Moncada (2B R, Chicago White Sox)

Assim como vários jogadores poderiam ser apontados como destaques, vários jogadores também poderiam ser apontados como surpresas após a primeira semana de jogos, mas minha escolha é por Yoan Moncada que ao menos até o momento, baixou sua taxa de strikeouts de 33,4% para 13% e mostrou ainda mais poder no bastão do que na temporada passada, onde já havia atingido 17 home runs mesmo com os problemas para fazer contato. Uma taxa de 13% de strikeouts provavelmente não é sustentável para ele, mas qualquer coisa em torno dos 20% já tona Moncada um jogador extremamente interessante dado o conjunto de habilidades dele e ao manos nesse início, Moncada tem feito jus as expectativas que fizeram dele o prospect #1 em várias listas. O jogador tem 2 home runs e linha de: 450/522/900 (AVG/OBP/SLG) ao longo de 23 passagens no bastão nessa temporada. 

Decepções 

Time: Boston Red Sox (2-6 W/L)

Atuais campeões, os Red Sox venceram apenas dois de seus primeiros sete jogos no ano e ocupam a última colocação na divisão West da Liga Americana. O ataque esteve apagado em alguns jogos, mas o principal problema até o momento foi a rotação, com os arremessadores titulares do time combinado para um ERA 8.44. Sale e Porcello tiveram quedas preocupantes de velocidade, Eduardo Rodriguez e Nathan Eovaldi tiveram problemas de controle e David Price tem o histórico de iniciar mal a temporada. O bullpen teve alguns problemas mas em geral deve ser forte, mas a situação dos arremessadores titulares precisa ser examinada de perto pelos apostadores. 

Pitcher: Chris Sale (LHP, Boston Red Sox)

Após ser nocauteado em sua estreia nessa temporada, cedendo 7 corridas ao longo de 3.0 IP na derrota dos Red Sox sobre os Mariners por 12x4, Sale cedeu apenas 3 hits e uma corrida em seu segundo jogo frente aos Oakland Athletics, ainda assim, Sale não se saiu verdadeiramente bem naquela partida e vem mostrando tendências preocupantes desde a reta final da última temporada. Sale perdeu o controle de seus arremessos, cedendo 4.0 walks em média a cada 9.0 IP até o momento e sua velocidade caiu muito, passando de 95.7mph em média na bola rápida no ano passado para 91.4mph nessa temporada e contra os A’s a maioria de seus arremessos atingiram apenas 89mph. Sale provavelmente tem jogado machucado e se os oddmakers continuarem supervalorizando ele nas odds, os apostadores terão sempre uma boa oportunidade de aposta indo contra o arremessador. 

Rebatedor: Brian Dozier (2B R, Washington Nationals)

Dozier já vinha de uma temporada decepcionante e parecia ainda pior em seus primeiros jogos esse ano, sofrendo strikeouts em 36,8% das vezes em que foi ao bastão e somando apenas 2 hits e 1 walks em 19 passagens. Sua potência diminuiu e Dozier tem feito muito contato fraco, no que seu baixo número de hits não é apenas por conta de azar. O jogador tem um histórico de começar frio e ir melhorando conforme a temporada avança, mas ano passado isso não ocorreu e Dozier nunca foi tão eliminado por strikeouts quanto nesse início de temporada. 

Não se anime com...

Chris Archer (RHP, Pittsburgh Pirates)

Archer não sofreu corridas contra os Cardinals em sua estreia na temporada e conseguiu 8 strikeouts em 5.0 IP de serviço, mas os Cardinals possuem um lineup predominantemente formado por destros, contra os quais ele sempre foi eficaz. Seus principais problemas são contra rebatedores canhotos e Archer parece ter feito pouco esforço para corrigir isso, não conseguindo desenvolver um quarto arremesso utilizável. Archer tem apenas três arremessos em seu arsenal, com o slider sendo o maior destaque, o que o torna bom contra destros mas ineficiente contra canhotos. Contra os Cardinals, o arremessador ainda mostrou outra tendência preocupante, com sua bola rápida caindo de 95.3mph em média no ano passado para apenas 92.9mph em sua primeira partida nessa temporada. Sua bola rápida já foi facilmente atingida nos últimos anos e exceto que ele tenha adicionado um pouco de movimento nela, é provável que ela seja ainda mais vulnerável com velocidade reduzida. O bom de começo de Archer contra os Cardinals não diz absolutamente nada e apostadores devem ficar atentos com ele daqui para frente, especialmente em confrontos contra equipes que possuam muitos canhotos no lineup. 

Não se desespere com...


Zack Greinke (RHP, Arizona Diamondbacks)

Greinke foi fortemente atingindo em suas duas primeiras partidas nessa temporada, cedendo 6 home runs e 10 corridas no total. O arremessador porém, também começou mal na última temporada, postando ERA 4.50 em março/abril para depois fechar o ano com um sólido ERA 3.21. Aos 35 anos, Greinke não é mais o ace que já foi nos tempos de Milwaukee Brewers, mas sua velocidade não caiu tanto em relação a última temporada, sua utilização de arremessos tem sido semelhante e exceto pelos home runs cedidos, que tendem a regredir à média, seus números parecem de acordo com os postados por ele nos últimos anos. Espera abril acabar e veja se os oddmakers começam a desvalorizar Greinke, caso afirmativo, o arremessador deverá ser encarado como uma aposta de valor após seu péssimo começo. 
 


Telegram

Casas de apostas

Bet365

Bônus

R$200

Ganhar
188BET

Bônus

R$200

Ganhar
Rivalo

Bônus

R$777

Ganhar
Bodog

Bônus

R$200

Ganhar
22BET

Bônus

100%

Ganhar
Sportsbet.io

Bônus

R$150

Ganhar
NetBet

Bônus

R$200

Ganhar
Betfair

Bônus

$30

Ganhar
Sportingbet

Bônus

R$120

Ganhar


Outros Artigos