De Olho na MLB: Ediçao #4


29/08/2019

De Olho na MLB: Ediçao #4

Mais uma semana se passou no baseball americano e agora a temporada se encaminha para a expansão dos rosters em setembro, mês que antecede a pós-temporada. Na 4° edição desta coluna, mostramos os destaques, decepções e surpresas da semana na MLB, além de atualizarmos o recorde de nosso especialista em baseball, Gustavo Zambrano

Nosso Especialista

Gustavo Zambrano

MLB – Temporada Regular 2019

Recorde: 158-140-5 (53%), +8,81und

ODD Média: 2.10

ROI%: +2,9%

ML: 114-106-1 (51%), +2,99und

Totais: 43-32-4 (57%), +7,05und

HC: 1-2 (33%), -1,23und

Especiais

Home Run Derby 2019: 1-6 (14%) -4,34und

All-Star Game 2019: 0-2 (0%), -2,00und

Não foi uma boa semana no baseball aqui no site, mas o recorde da temporada é positivo e o ROI% de 2,9% é muito bom para uma liga tão difícil quanto a MLB. Na edição desta coluna na última semana, o saldo era de +12,27und na temporada, mas as dicas do site desde quinta-feira foram 9-10 W/L e os acertos vieram em odds baixas, com o saldo agora sendo de 8,81 unidades de lucro. 

Destaques 

Time: Houston Astros (87-47 W/L) 

Os Astros enfrentaram equipes fracas recentemente, mas um desempenho de 9-1 W/L nos últimos dez jogos é notável contra quer que seja e o time tem despontado como uma das grandes forçar da Liga Americana. A rotação com: Justin Verlander, Gerrit Cole, Zack Greinke e Wade Miley é possivelmente a mais forte da liga, enquanto que o bullpen tem sido sólido e o ataque vários destaques, com o novato Yordan Alvarez aparecendo como surpresa e fortalecendo ainda um ataque que vinha recebendo ótimas produções de: Alex Bregman, Michael Brantley, George Springer e Jose Altuve. 

Exceto pelo closer Roberto Osuna, que tem oscilado bastante de produção, o time não tem pontos fracos evidentes e parece a equipe mais completa entre as que estão sendo consideradas favoritas ao título da World Series. 

Pitcher: Gerrit Cole (RHP, Houston Astros)

O destaque entre os arremessadores fica um dos arremessadores da equipe destaque dessa semana. Ganhando velocidade em sua bola rápida e abandonando seu sinker e seu changeup, Cole se transformou em um ace legitimo desde que chegou em Houston na temporada passada. O arremessador perdeu duas semanas em agosto por conta de uma lesão, mas retornou forte e conseguiu um total de 26 strikeouts em seus dois últimos jogos, cedendo apenas dois walks. Cole permitiu 4 corridas contra os Rays em sua última partida, mas tem sido dominante na maior parte do tempo e seu ERA 2.85 é o 2° melhor da Liga Americana entre os arremessadores qualificados, atrás apenas de seu companheiro de equipe, Justin Verlander. 

Rebatedores: Xander Bogaerts (SS, R, Boston Red Sox)

Bogaerts tem feito a melhor temporada de sua careira e foi o rebatedor que mais se destacou nessa semana, com 3 home runs e linha de: 471/609/1176 (AVG/OBP/SLG) em seus últimos cinco jogos. O jogador tem sido mais paciente no bastão, chegando mais em base através de walks do que nos outros anos e tem puxado mais a bola em suas rebatidas, diminuindo a taxa de rebatidas rasteiras e aumentado a frequência com que rebate para o campo externo. Bogaerts já tem 7 home runs a mais do que no ano passado e deve aumentar ainda mais a marca na reta final da temporada. 

Surpresas

Time: Saint Louis Cardinals (73-59 W/L)

Os Cardinals vinham em uma sequência de seis vitórias consecutivas, até que foram derrotados ontem pelos rivais Milwaukee Brewers no jogo #3 da série. O time venceu nove de suas últimas onze partidas, passando a liderar a divisão Central da Liga Nacional, com 2,0 jogos de vantagem sobre os Chicago Cubs, atuais 2° colocados. O bom momento da equipe, vem principalmente de uma grande melhora da rotação. Jack Flaherty tem feito uma excelente segunda metade de temporada, Dakota Hudson de alguma forte, tem limitado hits, corridas e home runs, enquanto que: Adam Wainwright, Michael Wacha e Miles Mikolas, todos tiveram boas atuações recentemente. O bullpen também tem feito um bom trabalho, mas o ataque ainda oscila muito de desempenho. De qualquer, os Cardinals deverão travar uma batalha até o final contra os Chicago Cubs pelo título da divisão Central da Liga Nacional.

Pitcher: Anthony DeSclafani (RHP, Cincinnati Reds)

Após ter começado mal o mês de agosto, DeSclafani cedeu apenas duas corridas no total em seus últimos três jogos, conseguindo 8 strikeouts e cedendo apenas 2 hits e um walk ao longo de 7.0 IP na última quarta-feira contra os Miami Marlins. O arremessador vinha tendo problemas com home runs, mas não cedeu home runs nas últimas duas partidas e apresentou alguns ajustes que apoiam o seu bom momento recente, diminuindo bastante o uso de seu curveball e aumentando a utilização da bola rápida e do slider, seus dois melhores arremessos. DeSclafani ainda tem um ERA apenas mediano de 4.05, mas tem a melhor taxa de strikeouts de sua carreira, com média de 9.22 strikeouts a cada 9.0 IP. 

Rebatedores: Aaron Judge (OF, R, New York Yankees)

Aaron Judge é extremamente talentoso, mas ele também é inconstante e sua produção não vinha sendo tão alta desde que sofreu com uma lesão no mês de junho. Judge porém, foi incrível nessa semana, rebatendo um home run em todas as três partidas da série contra os Los Angeles Dodgers, uma das equipes mais cotadas para a World Series desse ano, seguido por mais dois home runs em três jogos na série contra os Seattle Mariners. Judge teve ao menos uma rebatida em dez de suas últimas onze partidas e 6 home runs no período. Os strikeouts sofridos seguem altos, mas Judge compensa isso com muitas rebatidas em linha, que levam a um alto aproveitamento no bastão e uma taxa de chegadas em base. 

Decepções 

Time: Colorado Rockies (59-75 W/L)

Os Rockies foram aos playoffs através do Wild Card nas duas últimas temporadas, mas esse ano são o último colocado na divisão West da Liga Nacional, 28,5 jogos atrás dos líderes Los Angeles Dodgers. A equipe concentrou muito de seus recursos financeiros na construção do bullpen nos últimos anos, mas relievers são arremessadores voláteis e o bullpen tem sido um desastre, com: Jake McGee, Bryan Shaw e Wade Davis ganhando grandes salários e entregando uma produção pífia. 

Devido ao efeito Coors Field, que infla os números dos rebatedores, a equipe não pareceu perceber que tinha um ataque fraco e exceto pela contratação de Daniel Murphy, que não vem bem nessa temporada, nada foi feito para fortalecer a parte ofensiva. Na rotação, o time viu a regressão de Kyle Freeland, que sustentou um baixo ERA na temporada passada, mas através de um baixo BABIP e alto LOB% e era um dos candidatos mais óbvios a regredir esse ano. Os Rockies venceram apenas duas de suas últimas dez partidas e são 31-52 W/L contra equipes com um recorde positivo nessa temporada. 

Pitcher: Matthew Boyd (LHP, Detroit Tigers)

Boyd sustentou um ERA 2.85 até o final de maio, mas tem sido péssimo desde então. O arremessador sofreu uma grande regressão em sua média de home runs sofridos, tendo permitido apenas 7 home runs em seus em seus 12 primeiros jogos da temporada, mas cedendo 19 nos 15 jogos seguintes. Foram 10 home runs cedidos em seus últimos cinco jogos e Boyd possui um ERA 7.09 em agosto, tendo sofrido 7 corridas em seu último começo contra os Minnesota Twins. Seu slider ainda tem gerado muitos swings no vazio, o que impulsiona sua taxa de strikeouts para 11.77 em média a cada 9.0 IP, mas sua bola rápida foi perdendo eficiência durante a temporada e Boyd não possui um terceiro arremesso confiável em seu arsenal, se apoiando apenas na combinação de bola rápida e slider. 

Rebatedor: Buster Posey (C, R, San Francisco Giants)

Posey já foi o melhor catcher da liga por uma boa quantidade de anos, mas o jogador vem em declínio na carreira e essa é sua 2° temporada fraca em sequência. Posey não consegue mais rebater a bola com potência, tendo um total de apenas 11 home runs nos dois últimos dois anos e sua disciplina no bastão tem piorado, com o jogador tendo a sua maior taxa de strikeouts sofridos desde a temporada de 2011 e com sua taxa de walks recebidos sendo a menor desde 2010. Posey tem apenas 32 anos, mas catchers são muito exigidos fisicamente e costumam entrar em declínio mais cedo, no que parece improvável que ele ainda possa ressurgir como um grande rebatedor. Defensivamente ele é ainda sólido, mas sua linha de: 246/311/368 (AVG/OBP/SLG) é ruim até mesmo se comparada com os outros jogadores da posição. 

Não se anime com...

Jeff Samardzija (RHP, San Francisco Giants)

Samardzija tem um ERA 2.21 na segunda metade da temporada, mas parece improvável que ele seja efetivo por muito mais tempo. O arremessador perdeu velocidade e para compensar isso, voltou a utilizar o seu cutter, que junto com seu curveball tem sido bastante efetivo, mas seu baixo ERA é atrelado a um BABIP baixíssimo de .239 e um LOB% 76,3 que é de 95% na segunda metade da temporada, taxas historicamente insustentáveis. O pitcher apresentou problemas de controle recentemente e sua taxa de strikeouts caiu bastante, sendo de apenas 5.83 a cada 9.0 IP ao longo de cinco começos em agosto. Samardzija é um grande candidato a uma forte regressão, seja na reta final dessa temporada ou no início da próxima. 

Não se desespere com...

Drew VerHagen (RHP, Detroit Tigers)

Até o dia 25 de Julho, VerHagen tinha mais walks do que strikeouts na temporada e vinha com ERA 14.40, o arremessador porém, teve grande melhora em seu controle, cedendo apenas 2 walks em 21.0 IP em agosto e conseguindo 21 strikeouts no período, com ERA 2.57 em cinco jogos esse mês. VerHagen fez ajustes mecânicos, mas não promoveu ajustes em se repertorio de arremessos, tendo no sinker seu melhor arremesso e lançando ele em 40,5% de seus pitches. 
 


Casas de apostas

Bet365

Bônus

R$200

Ganhar
Sportsbet.io

Bônus

R$150

Ganhar
Sportingbet

Bônus

Ganhar
Bodog

Bônus

R$200

Ganhar
188BET

Bônus

R$200

Ganhar
NetBet

Bônus

R$200

Ganhar
Dafabet

Bônus

R$600

Ganhar
Betfair

Bônus

$30

Ganhar
Rivalo

Bônus

R$777

Ganhar



Outras Notícias