De Olho na MLB: Edição Especial - Half Season


10/07/2017

Aproveitando a pausa para o Home Run Derby e All-Star Game, o que simbolicamente divide a temporada, teremos uma edição especial da coluna, mostrando os destaques, surpresas e decepções do baseball americano na primeira parte da temporada e não apenas nas últimas semanas. Com tantos jogos, fica fácil para o apostador se perder em meio a tantas informações. Nossa missão aqui é deixar o leitor a par de tudo o que está acontecendo na Major League, para que com isso, ele possa ter uma vantagem contra os books. Também utilizamos esse espaço para mostrar o recorde de nosso especialista em Baseball no Aposta10: Gustavo Zambrano.

Nosso Especialista

Gustavo Zambrano

Recorde: 113-100-5 (53%), +6,01und
ODD Média: 1.99
ROI%: +2,7%
ML: 70-58-1 (54%), +10,37und
Totais: 42-38-4 (52%), -1,36und
RL: 1-3 (25%), -2,00und
Total de Equipe: 0-1 (0%), -1,00und

Destaques 

Time: Houston Astros (60-29 W/L) 

O Astros tiveram o melhor recorde da primeira metade da temporada e estão no ritmo para uma temporada histórica. Tudo tem funcionado na equipe, com o bullpen sendo dominante, o ataque bastante produtivo e a rotação uma grata surpresa, já que a equipe tem conseguido contornar os desfalques de Dallas Keuchel e Collin McHugh no setor. Jose Altuve, Carlos Correa e George Springer formam um talentoso e jovem núcleo ofensivo, enquanto que na rotação: Lance McCullers evoluiu para um ace legitimo, tendo registro de 7-2 W/L na temporada. 

Pitcher: Chris Sale (LHP, Boston Red Sox)

Trocado para os Red Sox na última offseason, Sale tem feito sua melhor temporada da carreira. O arremessador não tem sentido os efeitos de atuar no Fenway Park e na verdade, sua taxa de home runs cedidos diminuiu em relação aos dois últimos anos, passando de 0.90 na carreira para 0.78 nessa temporada. Sale tem também a sua maior taxa de strikeouts da carreira e seu controle também evoluiu esse ano.  

Rebatedores: Aaron Judge (RF R, New York Yankees)

Judge é destaque entre os rebatedores e também uma grande surpresa. Sem muito sucesso em seu ano de calouro em 2016, o rebatedor tem liderado em home runs e em produção ofensiva pela métrica de wRC+. Judge já rebateu 30 home runs na temporada e mantém linha de: 329/448/691 (AVG/OBP/SLG) ao longo de 366 passagens no bastão esse ano. O jogador tem sido um dos maiores contribuintes para a boa temporada dos Yankees, que ocupam a 2° colocação da divisão East na Liga Americana, com aproveitamento de 52,3% até o momento. 

Surpresas

Time: Milwaukee Brewers (50-41 W/L)

Os Brewers são a maior surpresa entre os atuais líderes de divisão. Mesmo sem serem uma equipe de elite em nenhum setor, o time tem juntado forças e possui aproveitamento de 54,9% na temporada, liderando a divisão Central da Liga Nacional com 5,5 jogos de vantagem sobre os atuais campeões Chicago Cubs. Trocado para o time na última offseason, o terceira base Travis Shaw faz grande temporada, assim como Eric Thames, que retornou aos Estados Unidos após um longo período na liga coreana de Baseball. Na rotação: Chase Anderson e Jimmy Nelson são grandes surpresas e o veterano Matt Garza tem atuado em bom nível. 

Pitcher: Jimmy Nelson (RHP, Milwaukee Brewers)

Nelson aprimorou seus arremessos e melhorou seu controle, o que fez com que a taxa de swings no vazio forçados pelo arremessador aumentasse e por consequência os seus strikeouts subissem. O arremessador também parece ter corrigido seus problemas contra rebatedores canhotos, que estão atingindo apenas 238/303/393 (AVG/OBP/SLG) contra ele esse ano. Suas melhorias são reais e após 18 jogos iniciados na temporada, Nelson parece ter ganho o status de um sólido arremessador. 

Rebatedores: Anthony Rendon (3B R, Washington Nationals)

O talento sempre existiu, mas Rendon sofreu com lesões desde que entrou na liga em 2013 e nunca pode ter uma sequência muito grande de jogos para se desenvolver. Saudável, o rebatedor tem sido incrível esse ano, aumentando sua taxa de contato e também sua energia. Rendon já rebateu 16 home runs na temporada e tem linha de: 304/407/552 (AVG/OBP/SLG) ao longo de 339 passagens no bastão. 

Decepções 

Time: Chicago Cubs (43-45 W/L)

Muitas equipes são decepções nessa temporada e algumas delas estão com recordes bem piores do que os dos Cubs, casos de: Giants, Blue Jays e Orioles. O time de Chicago figura aqui porém, porque a expectativa em torno de um jovem e talentoso time, que vem de um título que encerrou uma sequência de 108 anos sem conquista da World Series, era muito grande. A equipe que venceu 103 jogos na última temporada, chega na pausa para o All-Star Game com aproveitamento abaixo de 50%. Defesa e rotação pioraram muito em relação a última temporada e alguns rebatedores importantes como: Addison Russell, Kyle Schwarber e Ben Zobrist produziram pouco esse ano. O time ainda possui o talento para mudar as coisas ao redor do ano, mas por enquanto os Cubs são a equipe mais decepcionante dessa temporada.  

Pitcher: Masahiro Tanaka (RHP, New York Yankees)

Tanaka ainda tem boa relação K/BB e sua velocidade voltou a subir, mas os resultados entregues pelo arremessador, não estão de acordo com seus periféricos e Tanaka postou ERA 5.47 ao longo de 18 começos até agora. O arremessador tem permitido home runs em excesso, com 22,5% das bolas que são rebatidas para o campo externo contra ele, virando home runs, o que se traduz para uma média de 2.03 home runs cedidos a cada 9 IP. O arremessador mostrou alguns sinais de melhora ao longo do último mês e é uma boa aposta para subir de produção no restante da temporada, mas por enquanto, Tanaka é a maior decepção entre os pitchers esse ano.  

Rebatedor: Carlos Gonzalez (RF L, Colorado Rockies)

Gonzalez sempre teve os seus números inflados pelo fator Coors Field e era um rebatedor superestimado na liga. O jogador porém, nunca atuou tão mal quanto nesse ano. Foram apenas 6 home runs atingidos ao longo de 286 passagens no bastão e sua taxa de contato forte caiu para menos de 30% pela primeira vez desde sua temporada de calouro com os A’s em 2008. Gonzalez tem apenas 31 anos e jogadores nessa idade não costumam viver um grande declínio de suas habilidades no bastão, o que faz sua má temporada ser ainda mais chocante. Até o momento, o jogador tem linha de: 221/299/338 (AVG/OBP/SLG) mesmo atuando no Coors Field em boa parte dos jogos. 

Não se anime com...

Jason Vargas (LHP, Kansas City Royals)

Vargas poderia ser uma grande surpresa dessa primeira metade da temporada – e provavelmente é para alguns. O problema é que sua melhora não é pautada por nenhum ajuste, ao menos nenhum perceptível. O arremessador ainda tem baixa velocidade nos arremessos, ainda utiliza seu mix de forma semelhante e não teve grande aumento na taxa de strikeouts. Seu baixo ERA é sustentado por um LOB% 84,37%, que mesmo com uma defesa de elite dos Royals, é suscetível a regressão no decorrer da temporada, o que tornará o arremessador bem menos efetivo. 

Não se desespere com...

Gerrit Cole (RHP, Pittsburgh Pirates)

Cole pode não ter se tornado o ace que era projetado para ser, mas ele é um sólido arremessador de meio de rotação. Seu ERA atual é construído por uma alta taxa de home runs cedidos, que é provavelmente fruto de aleatoriedade, já que sua taxa de contato forte permitido segue semelhante a sua média na carreira. Cole ainda força uma boa taxa de bolas rasteiras e tem uma relação K/BB decente, fatores que deveriam construir um ERA abaixo de 4.00 e não seus atuais 4.33. Quando os home runs regredirem a média, Cole voltara a ser um bom arremessador. 
 


Casas de apostas

Bet365

Bônus

R$200

Ganhar
Sportsbet.io

Bônus

R$150

Ganhar
Sportingbet

Bônus

R$120

Ganhar
Betfair

Bônus

$30

Ganhar
188BET

Bônus

R$200

Ganhar
Bodog

Bônus

R$200

Ganhar
NetBet

Bônus

R$200

Ganhar
Rivalo

Bônus

R$777

Ganhar
22BET

Bônus

100%

Ganhar



Outras Notícias