Aposta10 Logo
Pesquisar...
Pesquisar...
Pesquisar...
Pesquisar...
homeBlogPesquisa CNN/Itatiaia/Quaest aponta que 15% dos torcedores brasileiros já apostaram; veja dados

Pesquisa CNN/Itatiaia/Quaest aponta que 15% dos torcedores brasileiros já apostaram; veja dados

Josias Pereira Josias Pereira
Pesquisa CNN/Itatiaia/Quaest aponta que 15% dos torcedores brasileiros já apostaram; veja dados
whatsappwhatsappwhatsapp
whatsappwhatsappwhatsapp

Apostar tornou-se uma realidade na vida dos brasileiros, tanto que essa relação é apontada com destaque em pesquisas produzidas no país. A mais recente, intitulada de "Maior Raio-X do Torcedor" e produzida pela CNN/Itatiaia/Quaest, mostrou que 15% dos entrevistados afirmaram que já fizeram bets online, especialmente entre os mais jovens. 

Na faixa etária de 16 a 30 anos, 25% apostaram. Já entre 31 a 50, o percentual diminui, chegando a 16%. O menor índice - 7% - foi registrado entre pessoas com 51 anos ou mais. A predominância dos apostadores está no sexo masculino, com 22%, enquanto as mulheres representam 9%. 

Não importa a faixa de renda 

E apostar não é exclusividade de uma faixa de renda ou classe social. A variação é bem pequena, como apontou o "Maior Raio-X do Torcedor".

  • Entre as pessoas que recebem até dois salários-mínimos, 13% declararam já ter feito algum tipo de aposta.
  • De dois a cinco salários-mínimos, o índice aumenta para 16%.
  • Já para quem ganha de cinco salários-mínimos para cima, a taxa de apostadores é de 17%. 

Casas de apostas no futebol 

O mercado de patrocínios do futebol brasileiro é basicamente formado pela injeção monetária pujante das plataformas de apostas esportivas e jogos online. Mas os recentes escândalos envolvendo este tipo de relacionamento parecem ter impactado o pensamento do público sobre o tema.

  • Segundo o "Maior Raio-X do Torcedor", a porcentagem, apesar de alta para a aprovação dos acordos, sofreu uma queda em relação aos números do ano passado, passando de 66% para 59%.
  • Entre os jovens, o índice de entrevistados que não enxergam nenhum tipo de problema é maior, chegando a 67% entre 16 a 30 anos. O número cai com as outras faixas etárias: 59% dos 31 aos 50 anos; e 49% com 51 anos ou mais. 

Metodologia da pesquisa

A pesquisa “Maior Raio-X do Torcedor” ouviu 6.373 pessoas no total, sendo 5.023 entrevistas aprofundadas com torcedores de 278 cidades e 714 jovens de 7 a 15 anos. A coleta foi realizada entre 27 de abril e 1º de maio de 2024, por meio de entrevistas face a face com questionários estruturados. A margem de erro estimada é de 1,4 ponto percentual, com nível de confiabilidade de 95%.

(Foto: ASSY/Pixabay)