Aposta10 Logo
Pesquisar...
Pesquisar...
Pesquisar...
Pesquisar...
homeBlogMercado de ApostasSenadora defende cartão de crédito em cassinos: "a pessoa gasta e não pode lavar dinheiro"

Senadora defende cartão de crédito em cassinos: "a pessoa gasta e não pode lavar dinheiro"

Josias Pereira Josias Pereira
Senadora defende cartão de crédito em cassinos: "a pessoa gasta e não pode lavar dinheiro"
whatsappwhatsappwhatsapp
vaidebet-light
divider
7.5Nossa Avaliaçãoupper right icon

A VaideBet é a nova patrocinadora do Corinthians. Veja na análise se ela é segura e confiável.

whatsappwhatsappwhatsapp

Apesar de o Projeto de Lei 2.234/22, que regulamenta cassinos, bingos, jogo do bicho e corrida de cavalos no país ir para votação somente no segundo semestre, o assunto vem mobilizando os parlamentares. Após a aprovação na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), o PL deverá ir ao plenário somente após o recesso parlamentar, a partir de agosto, segundo afirmou o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG).

De acordo com a senadora Margareth Buzetti (PSD-MT), ela só vai apoiar o projeto caso haja a imposição para o uso exclusivo de cartão de crédito em pagamentos nos jogos. De acordo com ela, o uso do cartão de crédito inibe irregularidades fiscais, como a possibilidade de lavagem de dinheiro.

“Olha, de bingo eu tenho algumas restrições, mas o cassino não, porque você pode fazer somente com cartão de crédito. Porque daí a pessoa gasta e não pode lavar dinheiro. Ela vai pagar imposto disso, ela não pode lavar dinheiro”, defendeu Buzetti.

No entanto, apesar de a senadora se manter contrária à legalização dos bingos, já que, segundo ela, há dificuldade em controlar o fluxo de dinheiro na modalidade, ela destacou que o PL prevê a regularização de todos os jogos que constam no texto: cassinos, bingos, jogo do bicho e corrida de cavalos

“Se passar uma coisa, vai passar tudo. Então você não tem como separar. Por exemplo, eu era contra os jogos eletrônicos. Eu acho isso um absurdo para nossa juventude. Mas passou, né? É a democracia, a maioria vence”, finalizou Buzetti.

(Foto Pedro França/Agência Senado)