Como apostar na NBA







 

 

 

O basquete norte-americano e sua principal liga, a NBA, é um dos esportes mais fascinantes de se assistir pela TV. Naturalmente o apostador vai tentar conciliar apostas com o prazer de ver partidas incríveis, muitas vezes decididas por detalhes nos segundos finais. Entretanto, antes de sair apostando, certifique-se que você aprendeu o que é Point Spread, Moneyline, apostas Over/Under, Gestão de Banca, que escolheu as melhores casas de apostas e que tem acesso às melhores dicas de apostas online.

Na NBA participam 30 times que se enfrentam entre os meses de outubro a abril, com jogos praticamente todos os dias, pois na temporada ocorrem 1230 na temporada regular mais os Playoffs (fase mata-mata). Desta forma o apostador tem a possibilidade de acompanhar as notícias, apostar com grande regularidade e tentar comprovar suas habilidades para ganhar dinheiro com apostas.

O estudo e análise da NBA feito com regularidade se torna acumulativo em termos de qualidade. Quanto mais o apostador conhecer os times, melhor visão e entendimento terá para tomar decisões de apostas.

Por isso recomendamos a leitura dos Previews e dicas de jogos em sites que cobrem a NBA com regularidade, como é o caso do aposta10.

 

Apostas em Basquete – Saiba o Básico sobre a NBA

 

Estrutura do Campeonato

A NBA divide seus times em 2 Conferências (Leste e Oeste) e 6 Divisões. A partir disso, a tabela de jogos é feita para que os times das mesas Divisões e Conferências joguem mais vezes entre si (os da mesma divisão se enfrentam 4 vezes). Diferente do Futebol, na NBA times podem se enfrentar até mais de 10 vezes em uma mesma temporada.

Inicialmente os times disputam a temporada regular na qual 8 times de cada Conferência se classificam para os Playoffs (fase de mata-mata eliminatório).

Nos últimos 30 anos, somente 8 times conquistaram o título de campeão da Liga.

 

Estrutura do Jogo

Os jogos de basquete são divididos em 4 quartos de 12 minutos cada as e apostas podem ocorrer em cada um deles ou em cada metade do jogo (First Half bet, por exemplo).

Cada time tem 24 segundos para tentar fazer uma cesta e “clock reset” de 14 segundos se houver rebote ou sofrer alguma falta durante o ataque.

Como a temporada é longa e com muitos jogos, os times costumam fazer um grande rodízio entre seus jogadores, além das trocas por contusão.

Preste muita atenção pois em um jogo com grande vantagem no placar, os times costumam perder o interesse pelo jogo e no último quarto colocam seus reservas para descansar os titulares. Esse período com reservas chama-se “Garbage Time”.

Também costuma ocorrer grande rodízio no segundo quarto dos jogos, por isso não se assuste se o time favorito cair de rendimento em algum momento do jogo.

 

Tempo de jogo

No basquete o relógio é parado a cada vez que o juiz apita alguma infração e também após as cestas serem convertidas. Essa diferença é fundamental quando comparamos o basquete de outros esportes, pois os times costumam saber exatamente quanto tempo falta para tentar ganhar a partida e os árbitros com frequência ajustam os cronômetros durante os jogos.

Os treinadores dos times também possuem um bom número de tempos técnicos para pedir, principalmente em momentos importantes do jogo ou quando o time se descontrolou em quadra.

O tempo técnico na NBA pode ser pedido inclusive por jogadores dentro da quadra, em momentos cruciais, como um jogador encurralado por adversários, jogador que não acha companheiro para passar a bola em uma cobrança de lateral.

Outra função do tempo técnico é puramente tática: o time tem a bola na defesa, mas o treinador pede tempo e o jogo é recomeçado com a bola no ataque. Com isso ganha-se precioso tempo e organização par o ataque seguinte.

Uma ferramenta bastante útil nos jogos são os cronômetros espalhados pelos cantos da quadra para informar os jogadores do tempo restante. A tabela de basquete também ajuda na visualização do cronômetro quando o cronômetro zera, pois ela fica vermelha e assim facilita o vídeo-replay em casos extremos.

Pontuação

No Basquete podem ocorrer cestas de 3 pontos (arremessadas de longe, atrás do arco pintado no chão da quadra), 2 pontos (as normais) e 1 ponto (cada lance livre após marcação de falta ou penalidade).

Como as cestas de 3 pontos podem alterar placares, elas são muito utilizadas nos momentos finais dos jogos quando um time está atrás no placar.

Já outros times modelam suas estratégias para utilizar mais arremessos de 3 pontos durante o jogo todo, preferencialmente arremessando com poucos segundos de posse de bola, pois se o arremesso não cair, pelo menos o time terá mais posses de bola para tentar acertar de novo nos próximos ataques.

Alguns times preferem jogar trabalhando mais a bola com passes e tentando fazer cestas de perto do aro, utilizando seus grandes pivôs ou alas habilidosos.

As cestas de lance livre ocorrem com bastante frequência nos minutos finais dos jogos, pois os times que estão perdendo cometem faltas rapidamente para que o adversário arremesse do lance livre e parando o relógio. A expectativa disso é que o time erre os lances livres e o time atrás no placar tente um arremesso de 2 ou 3 pontos logo em seguida.

 

Posição dos jogadores

As posições dos jogadores na NBA são um pouco diferentes das habituais no Brasil e Europa, onde existem os Armadores (geralmente jogadores pequenos e habilidosos que costumam conduzir a bola em segurança ao ataque e distribuem a bola com qualidade), os Alas (jogadores altos porém ágeis que são bons em atacar a cesta com bandejas ou arremessarem de longa e média distância) e os Pivôs (jogadores mais altos e ás vezes pesados que jogam próximos à cesta e são responsáveis por lutar pelos rebotes tanto no ataque quanto na defesa.

Na NBA as posições são mais específicas e muitas vezes chamadas só pelo número: Point Guard (posição 1) seria o armador;  Shooting Guard (Posição 2) é o ajudante do armador, que pode conduzir a bola no lugar do armador, mas é o jogador veloz que normalmente faz infiltrações, arma contrataques; Small Forward (Posição 3) seria um ala com qualidades que lhe permitem jogar em qualquer posição, porém é o cara que tem o arremesso como arma principal; Power Forward (Posição 4), seria um ala mais pesado, quase um pivô, que é habilidoso e joga mais perto do aro; Center (posição 5) é o pivô que joga perto do aro e cuida dos rebotes, além de organizar corta-luz aos companheiros.

Placares

Na NBA os jogos nunca empatam e são disputadas prorrogações de 5 minutos até haver um vencedor. As apostas costumam contar os tempos extras também. Embora os empates ocorram poucas vezes, eles acabam por atrapalhar as apostas no Under, porém ajudam aos que apostaram no mercado Over.

Como os jogos nunca empatam, as cotações de Point Spread (handicap) -0.5 e +0.5 são obsoletas, sendo que o mercado Moneyline ocupa seu lugar.

Os handicaps -1 e +1 de pontos são pouco utilizados, mas existem. Estudos mostram que as partidas equilibradas terminam com placares com diferenças de 2 ou 3 pontos com maior frequência que placares que terminam com 1 ou 4 pontos. Isso deve ocorrer porque os times tentam conduzir suas tentativas de cestas de 2 ou 3 pontos, ou cometer faltas intencionais gerando lances livres, de acordo com a diferença de pontos no placar.

 

Arbitragem

Na NBA 3 árbitros atuam em cada partida, além de auxiliares de mesa e de vídeo. Em alguns caso os lances são revistos em vídeo e as decisões podem ser alteradas.

Como em outros esportes, nos minutos ou segundos finais a maioria dos árbitros evita apitar faltas em lances confusos ou duvidosos, tirando de si a responsabilidade.

Ainda que não seja algo totalmente claro e visível, a impressão que tenho é que também na NBA os árbitros costumam ser “caseiros”, pois cada jogo é uma grande festa na cidade sede do jogo, tanto que o maior tempo de replays na TV são do time da casa, mesmo se ele estiver perdendo.

Outro fator que pode existir é uma certa tendência dos juízes em favorecer marcações a favor de jogadores famosos e mais conhecidos, assim como marcações contrárias a jogadores com fama de briguentos e mal-humorados.

 

Os Times

A qualidade das equipes depende de vários fatores. Desde investimento financeiro, capacidade de gerenciamento, relação do técnico com o Gerente Geral e com os jogadores, escolhas de novatos no Draft, jogadores All-Star (estrelas) no elenco, apoio da torcida em jogos em casa, tradição na conquista de títulos e equipe de assessoramento técnico e estatístico.

Os elencos podem mudar de forma considerável a cada temporada diante da nova aquisição de jogadores jovens que podem ou não se tornarem estrelas em pouco tempo. Isso não acontece no baseball, pois lá os jogadores passam por diversas ligas menores antes de se juntar à MLB.

É comum jogadores saírem do basquete universitário e irem direto para a NBA. AS vezes até vão do colegial para a NBA!

 




Casas de apostas

188BET

Bônus

R$200

Ganhar
Bet365

Bônus

R$200

Ganhar
Rivalo

Bônus

R$777

Ganhar
10Bet

Bônus

R$400

Ganhar
NetBet

Bônus

R$200

Ganhar
Betboro

Bônus

R$500

Ganhar


Outros Artigos